Compartilhar.

Você conhece a Arara-Azul, sua origem, onde pode ser encontrada, quais maiores ameaças ao animal, seus hábitos? Pois é isso que você vai ler neste artigo e poderá entender porque a ave é tão querida pelo ser humano. Inclusive, com muitas pessoas adotando-a para seu convívio familiar. Confira!

Qual o habitat natural da arara-azul?

A Arara-Azul é originária da América do Sul, sendo identificada sua presença no leste da Bolívia, Paraguai e, ao contrário das demais aves exóticas, no Brasil.

Arara-Azul

Embora não haja um entendimento único a respeito, a floresta tropical seria o habitat natural da ave. Um fato é que preferem grandes áreas verdes abertas; por isso, se chegou a essa conclusão, por parte de alguns especialistas.

Porém, já se identificou sua presença em pântanos, assim como locais mais secos.

A presença da arara-azul demonstra que o local possui boas condições ambientais, o que é muito interessante em termos de essa ave ser um grande sinal de confirmação de preservação da natureza.

No Brasil ela vive nos seguintes Estados:

No total, com uma população atual de 6.500 aves, sendo que a maioria habita a região do Pantanal Mato-grossense.

Existe uma espécie de arara-azul, que é a Lear, somente encontrada no Nordeste, vivendo na Caatinga baiana.

Nesse local, seus ninhos são observados em árvores com cerne macio, como Manduvi, Ximbuva e Angico Branco.

Sua característica de construção de ninhos é pelo aumento das cavidades das árvores e não por abrir buracos. Os ninhos são forrados com lascas arrancadas das árvores.

Qual a alimentação da arara-azul?

A Arara-Azul possui uma dieta diversificada, mas prefere os frutos da bocaiúva e acuri, árvores que apresentam um coquinho, de onde retiram a casca e se alimentam de seu interior.

Dependendo da região onde habitam, se alimentam de côcos de Inajá, Tucumã e Piaçava de Catolé.

Esse hábito peculiar é possibilitado pelo fato de que essas aves possuem um dos bicos mais fortes de sua espécie. Por essa razão, conseguirem quebrar os coquinhos com facilidade.

Mantêm uma alimentação tanto nos topos das árvores como no solo e em bandos de aves.

Quando não encontram esse tipo de alimento, utilizam o milho, frutas, vegetais frescos e nozes de Macadâmia. Consomem regularmente água e ficam frágeis, se consumirem alimentos diferentes de sua dieta básica.

Como a arara-azul se reproduz?

A Arara-Azul, tem vida sexual a partir dos sete anos de idade e cada fêmea apresenta cria de dois filhotes, mas normalmente apenas um sobrevive, em cada ninhada.

Arara-azul

A fêmea cuida de chocar os ovos e o macho se responsabiliza pela alimentação de ambos. Os filhotes nascem após 28 dias desde que foram postos.

Seus ninhos são feitos em cavidades naturais de troncos do manduvi, típico do Pantanal.

Dentre os ovos, quase a metade é perdida por ação de predadores, inclusive para aves de outras espécies.

Araras-Azuis são monogâmicas e fiéis mesmo fora da época de reprodução, ficando unidas por toda a vida.

Arara-azul

As diferenças entre arara-azul macho e fêmea não são percebidas com facilidade, devendo ser realizados testes para sua identificação.

Por que a arara-azul está sob risco de extinção?

A Arara-Azul foi identificada pela primeira vez no ano de 1790. Porém, só em 1916 passou a ser conhecida e popular, pois, com sua característica alegre e afetuosa, ganhou a admiração de todos.

Encontra-se ameaçada por ser muito caçada, pela degradação da natureza por conta do desmatamento em seu habitat natural e pelo comércio ilegal da ave, relacionado ao tráfico de animais silvestres.

Arara-azul

Existem ações de organizações que estão tentando a preservação da espécie e vêm conseguindo resultados interessantes com suas iniciativas. Contudo, como são animais facilmente domesticados, há uma imensa procura por pessoas que queiram adotá-las.

O trabalho realizado pelo Projeto Arara-Azul, no Pantanal, consiste em algumas etapas, que envolvem:

  • monitoramento, recuperação e manejo dos ninhos;
  • acompanhamento de reprodução;
  • vigilância dos filhotes, através de identificação e exames;
  • ampliação de palestras sobre educação ambiental.

Com esse trabalho tão importante, houve um aumento da quantidade de Araras-Azuis no Pantanal desde 1999, passando de 1.500 para 5.000 aves.

Porém, como sua taxa de natalidade é reduzida, não está descartado o risco de extinção, principalmente devido ao tráfico de animais e do desmatamento, que provoca a redução de condições ambientais para as aves montarem seus ninhos.

Sua importância é tão grande, que a Arara-Azul se tornou o símbolo da preservação ambiental.

Atualmente, aparece na lista vermelha do organismo internacional IUCN – União Internacional para Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais, o que indica ser uma espécie vulnerável.

Um dos tipos da Arara-Azul está sendo considerada como uma ave classificada como criticamente em perigo, o que significa que ainda pode haver animais na natureza. Porém não tem sido mais identificada no país, o que pode indicar que dentro da classificação apresentada devem existir menos de 50 indivíduos vivos.

Curiosidades da arara-azul

A Arara-Azul é bastante amigável, dócil e adora atenção. Dessa maneira, quem desejasse criá-la em sua casa deveria entender que terá de se dedicar bastante à ave.

Arara-azul

Muitos consideram que e assemelha a uma criança de três anos de idade e que vai requerer atenção o tempo inteiro. Então, quem se propõe a criar essa ave, deve entender que sua dedicação será fundamental para a saúde do animal.

Esse tipo de ave possui muitas características interessantes como estamos vendo. Vamos relacionar algumas outras, a título de curiosidade:

  • Gostam de voar em pares ou em grupo;
  • Ao cair da tarde, se juntam para dormir;
  • Os filhotes são bem frágeis e dependem da alimentação dos seus pais até os seis meses;
  • Não conseguem se defender de insetos ou aves que cheguem até seus ninhos, antes de completarem 45 dias;
  • Sua captura é facilitada por ser aves dóceis e bastante afeitas à aproximação humana;
  • Isolam-se em época de reprodução;
  • Acariciam-se com o bico para propiciar a limpeza das penas, assim como para se socializarem;
  • Sua alimentação de coquinhos do Pantanal, também é a preferência do gado Nelore, que, ao comer e regurgitar ou defecar eliminam a casca, com maior facilidade de consumo do coquinho pela Arara-Azul;
  • Somente após dois meses, os filhotes passam a ter penas, e somente após isso é que consegue começar a voar.

Considerações finais sobre Arara-Azul

A Arara-Azul é uma ave muito apreciada por sua bela aparência, sua docilidade e facilidade de se adaptar a ambientes humanos.

Porém, por vários aspectos, sua existência está bastante vulnerável e devemos ter atenção para que possa ser preservada e que continue a preencher seus habitat naturais com sua encantadora presença.

O que achou de nosso conteúdo especial sobre Arara-Azul? Quer saber mais sobre o universo das mais belas aves do mundo? Deixe nos comentários.

 

O que achou da postagem? Deixe seu comentário.

Compartilhar.

Sobre o autor

O 1º Portal para criadores e apaixonados por pássaros.

Comentários estão fechados.